Cirurgia Ortognática

A cirurgia ortognática tem como finalidade a correção dos ossos de sustentação da face (mandíbula e maxila), que permitem o correto alinhamento dos elementos dentários. A cirurgia ortognática, em associação com o tratamento ortodôntico, permite uma correta solução das má-oclusões (encaixe dentário) e ou deformidades dento-faciais, especialmente nos casos mais severos. De acordo com o grau da alteração, a cirurgia ortognática varia de pequenas movimentações de grupos de dentes até a movimentação completa da mandíbula e ou maxila. O objetivo destes procedimentos conjuntos é a correção das alterações e ou deformidades dento-faciais e o estabelecimento do equilíbrio entre os dentes, ossos de sustentação e as estruturas faciais vizinhas (língua, lábios e bochechas), buscando uma melhora funcional e como consequência uma alteração estética.

Vídeos

Quem necessita de cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática está indicada quando há um reconhecimento da impossibilidade da execução do tratamento ortodôntico isolado, o que resultaria em instabilidade e desequilíbrio ósseo-dentário.

Pessoas que podem ter benefícios com a cirurgia ortognática são aquelas com uma mordida imprópria e aquelas com maxila e ou mandíbula posicionadas incorretamente. O crescimento da maxila e ou mandíbula é um processo lento e gradual, e em alguns casos, essas estruturas podem desenvolver com proporções incorretas. O resultado pode ser uma grande variedade de problemas que podem afetar as funções mastigatórias, respiratórias, fonatórias e de deglutição, comprometendo também o relacionamento social.

As principais causas das alterações e ou deformidades faciais podem ser: desenvolvimento, adquiridas (traumas) e congênitas (síndromes).
No diagnóstico da sua necessidade de cirurgia ortognática, haverá um trabalho conjunto do cirurgião Buco Maxilo Facial e do Ortodontista.

O ortodontista é o responsável pela movimentação e correção das inclinações dentárias dentro de suas bases ósseas, e o cirurgião Buco Maxilo Facial realiza a correta movimentação da maxila e ou mandíbula para que após o ato cirúrgico, a oclusão e a harmonia facial estejam satisfatórias.

Enquanto a ortodontia pode resolver vários problemas de oclusão, quando apenas os dentes estão envolvidos; a cirurgia ortongática pode ser necessária caso a maxila e ou mandíbula também precisem ser reposicionadas.

A seguir temos algumas condições que indique a necessidade da cirurgia ortognática:

  • Deficiência mandibular
  • Deficiência maxilar
  • Excesso mandibular
  • Excesso maxilar
  • Mordida Aberta
  • Assimetria facial
  • Síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS)

Estas alterações causam um desequilíbrio funcional do sistema estomatognático que podem levar a dificuldades, limitações e ou alterações:

  • Mastigatório
  • Fonatório
  • Respiratório
  • Deglutição

Como sinais e sintomas destas alterações iremos observar:

  • Dor em região mandibular
  • Cefaléias (dores de cabeça)
  • Limitação em abertura de boca
  • Dificuldade na alimentação
  • Disfunção da articulação temporo mandibular (ATM)
  • Estalidos próximos ao ouvido (ATM)
  • Alteração do sono

Como é o tratamento com a cirurgia ortognática?

Para a realização do tratamento será necessário uma consulta incial com o cirurgião Buco Maxilo Facial para que todas as dúvidas sejam esclarecidas.
Após esta consulta, exames específicos serão realizados para um correto diagnóstico e elaboração do plano de tratamento. Estes exames podem incluir desde documentação ortodôntica completa até exames mais sofisticados como:tomografia computadorizada, ressonância magnética, entre outros.

Baseado nos resultados destes exames, o cirurgião Buco Maxilo Facial junto como o Ortodontista irão decidir o melhor tratamento.

É importante saber que o tempo de tratamento, incluindo ortodontia pré-cirurgia, cirurgia ortognática, cuidados pós-operatórios, varia entre 2 a 3 anos, em média.

A cirurgia ortognática é realizada durante uma determinada fase do tratamento ortodôntico. A correção de uma má-oclusão pelo tratamento conjunto, requer uma equipe multidisciplinar, composta pelo Cirurgião Buco Maxilo Facial, Ortodontista, Psicóloga, Fonoaudióloga, Fisioterapeuta e pela especialidades médicas necessárias para o tratamento da deformidade.

O Cirurgião Buco Maxilo Facial em relação próxima a essas especialidades, formulará o correto diagnóstico, coordenando o tratamento e o acompanhamento a longo prazo.

Como é o tratamento ortodôntico pré-cirúrgico?

A ortodontia pré-cirúrgica movimentará seus dentes para uma nova posição procurando levá-los para suas inclinações corretas dentro das bases ósseas, fazendo com que estes se encaixem perfeitamente quando a maxila e ou mandíbula estiverem reposicionadas. Durante esta fase pré-cirúrgica do tratamento, a qual dura geralmente 12 a 18 meses em média, você utilizará aparelho ortodôntico e fará visitas ao seu ortodontista (mensalmente) para que o mesmo faça os ajustes necessários e visitará seu cirurgião Buco Maxilo Facial a cada três ou quatro meses com a finalidade de realizar modelos de estudo e orientar o tratamento ortodôntico.

Como os seus dentes estarão sendo movimentados para uma posição que será nova, você talvez pense que sua mordida está ficando pior no decorrer do tratamento. Entretanto quando o cirurgião Buco Maxilo Facial reposicionar sua maxila e ou mandíbula na cirurgia, os seus dentes encaixarão adequadamente.

Após a cirurgia, uma ortodontia final é geralmente necessária. É o que nós chamamos de “acabamento ortodôntico”. Após a remoção do aparelho ortodôntico, será necessário o uso de aparelho de contenção móvel por algum tempo.

Acompanhamentos semestrais e ou anuais com o cirurgião Buco Maxilo Facial e o Ortodontista serão necessários por um período mínimo de cinco anos.

Quais as documentações necessárias para a cirurgia durante o tratamento?

Durante o tratamento o seu cirurgião poderá pedir desde um simples raio-x, como documentações ortodônticas completas, tomografias, ressonância magnética ou outros exames considerados necessários.

Quando seu tratamento ortodôntico pré-cirúrgico estiver chegando ao fim, seu cirurgião fará preparos finais para o procedimento cirúrgico.

Documentações ortodônticas adicionais serão feitas. Seu cirurgião fará uma cirurgia baseada em radiografias e modelos, como previsão e planejamento dos resultados que serão obtidos.

Destes estudos serão realizadas guias cirúrgicos (aparelhos de acrílico) que servem de orientação no ato cirúrgico, com a finalidade de transferir com precisão o planejamento previamente realizado em laboratório.

Aonde é realizada a cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática é realizada em ambiente hospitalar, com utilização de anestesia geral, levando aproximadamente 4 a 6 horas em média, dependendo do tipo de cirurgia a ser realizada. Antes da cirurgia você fará os exames necessários para avaliar sua condição atual de saúde e em casos específicos poderá passar por avaliação médica prévia ao procedimento cirúrgico.

Na maioria das vezes você é internado(a) na manhã em que será realizada a cirurgia, onde o anestesista explicará o procedimento a ser realizado.

Além da anestesia geral, você receberá outros medicamentos que previnem inflamação, infecção e dor. Para seu conforto será feito uma medicação pré-cirúrgica para reduzir a ansiedade.

Como é o procedimento cirúrgico?

Cirurgias realizadas na mandíbula são geralmente feitas na região de ramo e corpo mandibular (parte posterior) e bilateral a qual é separada em dois fragmentos. Com isso, o cirurgião pode levar o fragmento ósseo com os dentes para frente ou para trás e também pode abaixar ou levantar a mandíbula.

Certos movimentos requerem que a maxila e ou mandíbula sejam separadas em 3 ou 4 segmentos (pedaços), para atingir uma melhor oclusão. Outros ossos faciais que contribuem para a harmonia facial talvez sejam reposicionados, aumentados ou reduzidos para um melhor resultado.

Na maioria dos caso as incisões feita intra-oral sem cicatrizes externas. Se for necessária incisões externa, estas serão quase que imperceptíveis, pois seguem as linhas naturais da pele.

Como é imediatamente após a cirurgia ortognática?

Após a cirurgia você será levado(a) à sala de RPA (recuperação pós-anestésica). Ao receber alta da RPA, você apresentará um desconforto devido ao edema facial local, leves dores faciais, perda temporária da sensibilidade dos lábios (parestesia) e esporadicamente hematomas poderão surgir.

Você ficará em média 2 a 3 dias no hospital, dependendo da cirurgia realizada. Na alta hospitalar, o edema é esperado, especialmente em lábios e bochechas, o que é normal no processo de cura.

Nos primeiros dias após a cirurgia, você poderá ter uma dificuldade de respirar pelo nariz, o que ocorre devido ao uso de uma cânula no ato anestésico, edema na região nasal, e crostas formadas pelo ressecamento de secreção e muco; mas com o passar do tempo vai desaparecendo.

Dor pós-operatória será controlada com medicação, a qual seu cirurgião prescreverá.

Raramente, será realizado bloqueio intermaxilar (boca amarrada), isto só ocorrerá quando o cirurgião observar instabilidade na fratura, caso contrario sua articulação mandibular será limitada apenas pelo desconforto cirúrgico e uso de elásticos ortopédicos para estabilizar a musculatura.

Sua alimentação será líquida a pastosa e fria, sendo liberada pelo cirurgião conforme a evolução do caso. Durante esta fase, pode ocorrer perda de peso devido à mudança do hábito alimentar, mas isso não prejudicará o processo de recuperação cirúrgica.

O uso de substâncias alcoólicas, tabaco e drogas ilícitas durante o período de recuperação fica contra-indicado.

Como será durante o período de recuperação?

Quando deixar o hospital você poderá voltar a sua rotina por volta de duas a quatro semanas. Sua aparência está alterada, então espere por surpresas de conhecidos e familiares.

Serão necessários visitas periódicas ao seu cirurgião Buco Maxilo Facial.

O processo inicial de cura se dá em sei semanas, mas todo o processo levará de nove a doze meses.

O ortodontista começará a fase de ortodontia pós-cirúrgica após quatro a oito semanas da cirurgia. É o que chamamos de “acabamento ortodôntico”. Na maioria das vezes seu aparelho será removido em 6 a 12 meses após a cirurgia.

Após a remoção do aparelho você terá que retornar para controle com o seu cirurgião semestralmente nos primeiros 2 anos e anualmente até completar 5 anos pós-cirúrgico.

Quais os sinais e sintomas comuns no pós-cirúrgico?

Como em qualquer procedimento cirúrgico, a cirurgia ortognática apresentará respostas fisiológicas esperadas como:

1. Edema é uma reação normal do organismo a qualquer procedimento cirúrgico e varia de indivíduo para indivíduo. O edema tem seu “máximo” em 24 a 72 horas após a cirurgia, permanecendo quase que inalterado por uma semana e desaparecendo em duas a quatro semanas.

2. Hematomas são acúmulos de sangue em regiões não específicas que raramente ocorrem e caso ocorra o organismo irá reabsorvê-los sem maiores complicações

3. Náusea e vômito são reações do organismo podendo estar relacionado com a anestesia geral ou acúmulo de fluídos em locais ectópicos. Como você estará com uma dieta líquida e pastosa, o episódio de vômitos que ocorrerem não causarão maiores desconforto. Serão dadas a você medicações para controle destes sintomas.

4. Dor após uma cirurgia ortognática é geralmente moderada e será controlada com medicação. Se os sinais e sintomas persistirem, entre em contato com o seu cirurgião.

5. Sangramentos pequenos podem ocorrer após a cirurgia, e se esta for realizada em maxila, pode haver sangramento pelo nariz. Se o sangramento persistir, entre em contato com o seu cirurgião.

6. Perda de sensibilidade nervosa da face, maxila/mandíbula, dentes, língua e principalmente lábio inferior, resultando em anestesia ou formigamento, pois a simples manipulação e afastamento das fibras nervosas leva a essas sensações. Que irá desaparecendo com o tempo, freqüentemente no período de seis meses a dois anos.

7. Infecção é um risco potencial em qualquer cirurgia e se ocorrer, é tratada com antibióticos. Se febre ou pus ocorrerem após a cirurgia, entre em contato com o seu cirurgião imediatamente.

8. Complicações de seios paranasais com drenagem de pus, dor e ou sinusite pode ocorrer em alguns casos que envolvam cirurgia de maxila.

9. Injúrias a dentes/raízes, restaurações e próteses podem ocorrer durante o ato cirúrgico, o que pode levar a um tratamento posterior.

10. Recidiva da nova posição da mandíbula é incomum, mas pode ocorrer. Caso ocorra, seu cirurgião saberá quais providências serão necessárias.

11. Limitação de movimentos pode ocorrer, sendo necessários alguns exercícios de fisioterapia.

12. Dor em ATM ou uma função anormal raramente acontece após a cirurgia ortognática. Caso ocorra, seu cirurgião saberá quais providências serão necessárias.