ATM

A articulação temporo mandibular (ATM) é a articulação responsável pelos movimentos mandibulares, associadas á ação dos músculos mastigatórios. Estes movimentos possibilitam a realização das funções estomatognáticas: sucção, mastigação, deglutição e fonação. Portanto, quando há alteração muscular e das funções estomatognáticas com sinais clínicos em ATM estaremos diante de uma disfunção da articulação temporo mandibular (DTM).

Vídeos

Quais os sinais da disfunção temporo mandibular?

Pacientes que apresentam desequilíbrio do sistema estomatognático podem evoluir com diversas alterações tendo como sinais e sintomas: mialgia facial (dores nos músculos da face), cefaléias (dores de cabeça), otalgia (dor de ouvido), hipoacusia (deficiência na audição), labirintopatias (tonturas), estalidos em ATM, limitação em abertura de boca, desvio em abertura de boca e ou travamento em abertura ou fechamento de boca.

Como é o tratamento para DTM?

O tratamento para disfunção temporo mandibular varia de acordo com o grau de comprometimento e o estágio da disfunção articular no qual o paciente se encontra.

Primeiramente, o paciente deverá passar por uma conuslta e exame físico para que se possa avaliar o estado atual da disfunção: exames complementares serão solicitados para o estadiamento clínico.

Após feito o diagnóstico, iremos elaborar um plano de tratamento individualizado para cada caso.

Todos os tratamentos articulares seguirão rigorosamente uma sequência de métodos terapêuticos que são:

1 – Tratamento clínico (desprogramação neuromuscular):
Todos os pacientes sem exceção irão iniciar como o tratamento clínico. Este consiste na utilização de um dispositivo intra-oral (“placa de mordida”) para a realização da desprogramação e reprogramação neuromuscular, ou seja, toda a memória dos músculos da mastigação será alterada de uma forma orientada. Durante esta fase do tratamento, seus sinais e sintomas poderão aumentar por um determinado período e na maioria das vezes eles desaparecerão nos primeiros meses.

O tratamento clínico será realizado por um período de 4 a 6 meses. Serão realizadas visitas semanais e ou quinzenais, para realizar ajustes no seu dispositivo intra-oral e orientá-lo em relação ao tratamento fonoaudiológico e fisioterápico.

Após esta fase, iremos para realização das reabilitações estruturais e ou oclusais.

2 – Tratamento cirúrgico (reabilitação estrutural):
Está indicada para pacientes que apresentam alteração no posicionamento do disco articular e no desenvolvimento das estruturas ósseas faciais. Esta reabilitação consiste em procedimentos cirúrgicos para restabelecer ou corrigir as estruturas anatômicas. Dentre estes podemos citar:

  • Artrocentese ( lavagem da articulação com solução salina estéril);
  • Artroscopia (Introdução de um artroscópio no espaço superior da articulação e as estruturas intercapsulares são visualizadas em um monitor. As aderências podem ser identificadas e eliminadas e a articulação pode ser sensivelmente melhorada);
  • Artrotomia funcional (cirurgia aberta da articulação para realização da discopexia com ancoragem que consiste na recolocação do disco articular em seu devido local);
  • Reconstrução articular;
  • Cirurgia ortognática.

3 – Reabilitação oclusal:
A reabilitação oclusal está enquadrada na última fase do tratamento da disfunção temporo mandibular. Consiste na correção da oclusão dentária (encaixe dos dentes) que pode ser realizada através de aparelhos ortodônticos, cirurgias orais, procedimentos periodontais e protéticos.

Estes procedimentos podem ser realizados de forma isolada ou em associação.

Aonde são realizados os procecimentos cirúrgicos?

Os procedimentos cirúrgicos são realizados em ambiente hospitalar. Antes dos procedimentos você fará os exames necessário para avaliar sua condição atual de saúde e em casos específicos poderá passar por avaliação médica prévia ao procedimento cirúrgico.

Na maioria das vezes você é internado(a) na manhã em que será realizada a cirurgia, onde o anestesista explicará o procedimento anestésico a ser realizado.

Além da anestesia geral, você receberá outor medicamentos que previnem inflamação, infecção e dor. Para o seu conforto será feito uma medicação pré-cirúrgica para reduzir a ansiedade.

Como é o procedimento cirúrgico?

Os procedimentos cirúrgicos são realizados em ambiente hospitalar com utilização de anestesia geral ou sedação; levando aproximadamente 2 a 4 horas em média, dependendo do tipo de cirurgia a ser realizada.

Cirurgias realizadas na articulação temporo mandibular são geralmente feitas com acesso extra oral em região de tragus (orelha), sendo quase que imperceptíveis, pois seguem as linhas naturais da pele.

Como é imediatamente após a cirurgia?

Após a cirurgia você será levado à sala de RPA (recuperação pós-anestésica). Ao receber alta da RPA, você apresentará um desconforto devido ao edema facial local, leves dores faciais, pode ter perda temporária de alguns movimentos da face (neuropraxia) e esporadicamente hematomas poderão surgir.

Você ficará em média 1 a 2 dias no hospital, dependendo da cirurgia realizada. Na alta hospitalar o edema é esperado, especialmente em região pré-auricular (próximo da orelha), o que é normal no processo de cura.

Nos primeiros dias após a cirurgia, você poderá ter uma dificuldade em abertura de boca, o que ocorre devido a manipulação cirúrgica, edema intra-articular e dor local.

Sua alimentação será líquida a pastosa, sendo liberada pelo cirurgião conforme a evolução do caso. Durante esta fase, pode ocorrer perda de peso devido a mudança do hábito alimentar, mas isso não prejudicará o processo de recuperação cirúrgica.

O uso de substâncias alcoólicas, tabaco e drogas ilícitas durante o período de recuperação fica contra-indicado.

Como é durante o período de recuperação?

Quando deixar o hospital você poderá voltar a sua rotina por volta de duas a quatro semanas.

Serão necessárias visitas periódicas ao seu cirurgião Buco Maxilo Facial, para que este continue o tratamento clínicio com ajustes em seu dispositivo intra-oral, exercícios de fisioterapia e fonoterapia e controle pós-operatório.

O processo inicial de cura se dá em seis semanas, mas todo o processo levará aproximadamente 6 meses.

Após este período você iniciará a reabilitação oclusal para equilibrar as funções do sistema estomatognático. O tempo de tratamento nesta fase varia muito de acordo com a necessidade de cada paciente.

Terminado a reabilitação oclusal terá que retornar para controle com o seu cirurgião semestralmente nos primeiro 2 anos e anualmente até completar 5 anos pós-cirúrgico.

Quais os sinais e sintomas comuns no pós-cirúrgico?

Como em qualquer procedimento cirúrgico, a cirurgia articular apresentará respostas fisiológicas esperadas, como:

1- Edema é uma reação normal do organismo a qualquer procedimento cirúrgico e varia de indivíduo para indivíduo. O edema tem seu “máximo” em 24 e 72 horas após a cirurgia, permanecendo quase que inalterado por uma semana e desaparecendo em duas a quatro semanas.

2 – Náusea e vômito são reações dos organismo podendo estar relacionado com a anestesia geral. Como você estará com uma dieta líquida e pastosa, o episódio de vômitos que ocorrerem não causarão maiores desconforto. Será dada a você medicação para controle destes sintomas.

3- Dor após uma cirurgia articular é geralmente moderada e será controlada com medicação. Se os sinais e sintomas persistirem, entre em contato com o seu cirurgião.

4 – Sangramentos pequenos podem ocorrer após a cirurgia. Se o sangramento persistir, entre em contato com seu cirurgião.

5 – Perda de movimentos da face, região frontal (testa), orbitária e bucal principalmente lábio inferior poderá ocorrer, sendo que a região frontal na maioria das vezes é a mais afetada. Isto ocorre, pois a simples manipulação e afastamento das fibras nervosas leva a essas alterações motoras, que irá desaparecendo com o tempo, frequentemente no período de seis meses a um ano.

6 – Infecção é um risco potencial em qualquer cirurgia e se ocorrer, e tratada com antibióticos. Se febre ou pus ocorrerem após a cirurgia, entre em contato com o seu cirurgião imediatamente.

7 – Recidiva do posicionamento discal é incomum, mas pode ocorrer, Caso ocorra, seu cirurgião saberá quais providência serão necessárias.

8 – Limitação de movimentos pode ocorrer, sendo necessários alguns exercícios de fisioterapia.

9 – Dor em ATM ou uma função anormal acontece após a cirurgia devido a manipulação cirúrgica, sendo controlada com medicações e fisioterapia.